Primeiramente, é preciso salientar que existem N coisas que se pode fazer e monitorar com o Google Analytics. A intenção desse post é mostrar para quem está começando, quais são as funções básicas que se deve ter conhecimento para entender melhor como se comporta o tráfego de seu site ou blog. Então vamos lá.

Dashboard inicial

Aqui você tem um raio-x dos principais dados do seu site. É sempre bom lembrar que esse dashboard é totalmente customizável, você pode inserir outros tipos de dados. No caso de sites que possuem conversão (preenchimento de cadastro, venda de produto), você pode incluir as taxas de conversão, receita, etc. Mas no caso de blogs e sites de conteúdo o legal mesmo é saber quantas pessoas visitaram seu site (visitantes únicos) no período de 1 mês, quantas visitas esse pessoal gerou, por quantas páginas em média eles navegam, duração média dessas visitas. E o bounce rate, que a porcentagem de pessoas que só bateram o olho na sua página e saíram.

Origem de tráfego – Visão geral

Aqui é onde a mágica começa a acontecer, você começa a ter um cheiro sobre o tipo de canal atraí mais tráfego para seu site. No caso da imagem, referral (links para o site) são a maior fonte de tráfego, seguido por tráfego direto, por mecanismos de busca e campanhas.

Origem de tráfego – Todo o tráfego

Aqui já é o visão geral mais esmiuçado. Veja que aqueles links que traziam maior parte do tráfego, na verdade, se referem a links no Facebook. O tráfego de mecanismo de busca na maioria das vezes vem através do Google. Se você costuma taguear seus links nas redes sociais, vai poder ver de maneira mais detalhada o tráfego que vem dessas determinadas ações.

Origem de tráfego – Orgânico

Ao clicar no Google Orgânico, é possível atribuir dimensões secundárias para se chegar ao tipo de palavra-chave buscada pelo usuário ao cair no seu site.

 

 

Social – Network referrals

Qual é a rede social que traz mais visitas para você e o como elas impactam nas vistias totais do seu site?

Conteúdo – Todo o site

Aqui você consegue ver quais são as páginas mais acessadas. Também é possível ordenar por bounce, tempo em página etc. É bom para saber quais são os principais destinos dos usuários. Incluindo dimensões secundárias, você vê qual é a principal fonte de tráfego ou palavra-chave usada na busca orgânica para uma determinada página.

In-Page Analytics

Nem todo mundo usa, mas é legal para medir quais são as áreas mais clicadas do seu site. Nada que você não consiga medir em outras seções do GA.

Real-time

Em tempo real você consegue ver quantas pessoas estão em seu site e qual foi a fonte de tráfego que as trouxe.